Não podemos ficar só em punições pontuais, é necessário rever o valor das tarifas.

Questionar a qualidade so sinal é importante, punir empresas de telefonia que não entregam o que prometem aos consumidores também é um avanço. Mas não podemos ficar só no questionamento da qualidade do serviço. As tarifas devem ser revistas pois estão muito acima da média mundial e do que estas multinacionais praticam em seus países de origem. O que obriga o cidadão a ter vários celulares de operadoras diferentes é o abuso na cobrança das tarifas de interconexão (aquela que se cobra quando o usuário liga para uma operadora diferende daquela do seu telefone). O preço cobrado pelo serviço telefônico no Brasil é abusivo, viola as normas de telefonia e são incompatíveis com a renda das familias brasileiras.

Começa hoje punição à operadora Oi no Rio Grande do Sul
Decisão da Anatel proíbe venda de novas linhas

A partir desta segunda-feira, as operadoras de telefonia móvel que apresentaram o pior desempenho por unidade da federação, conforme ranking da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), estão proibidas de comercializar novas linhas. Pelos dados da instituição, a Oi teve o pior desempenho no Rio Grande do Sul (29,67%), Mato Grosso do Sul (30,99%), Roraima (28,80%), Amazonas (18%) e Amapá, com 8,31% do total de reclamações. A Oi é a única empresa proibida de negociar chips no Estado. Segundo informou a Anatel, os novos consumidores poderão escolher entre, pelo menos, três operadoras em cada estado. Em sua decisão de proibir a venda de novas linhas, a Anatel considerou a crescente evolução da taxa de reclamações de usuários registrada em sua central de atendimento relativa à qualidade da prestação do serviço, além de registros dos sistemas da Agência e ações de fiscalização realizadas.

Estão proibidas de fazer comercialização, além da Oi, em cinco estados, entre eles o RS, a TIM (em 19 estados) e a Claro (em três). As prestadoras deverão apresentar Plano Nacional de Ação de Melhoria da Prestação do Serviço Móvel Pessoal, detalhado por estado, em até 30 dias, contendo medidas capazes de garantir a qualidade do serviço e das redes de telecomunicações, em especial quanto ao completamento e à interrupção de chamadas e ao atendimento a usuários. Novas vendas só serão permitidas após análise e aprovação, pela Anatel, do plano apresentado. Mesmo as prestadoras que não foram proibidas de comercializar em nenhum estado também deverão apresentar o Plano Nacional de Ação de Melhoria. Se alguma prestadora descumprir a determinação da Anatel, estará sujeita a pagar R$ 200 mil por dia.

Medida já afeta comércio de Porto Alegre

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre (CDL/PoA) estima que houve redução de 20% nas vendas no comércio da Capital por conta da proibição da comercialização de novas linhas de telefone celular e Internet 3G. “A venda de chips na semana passada ficou 60% abaixo do normal”, afirmou o presidente da CDL, Gustavo Schifino.

Na sexta-feira, as operadoras Oi, Claro, TIM e Vivo se comprometeram a respeitar as determinações do Procon com a divulgação da cobertura do serviço de telefonia na Capital e a orientar consumidores sobre como pedir redução da fatura no caso de falta de sinal. Hoje, o Procon Porto Alegre faz uma reunião de avaliação para verificar se as empresas estão cumprindo o acordo quanto a desconto nas faturas devido a quedas na conexão.

Fonte: http://www.correiodopovo.com.br/Noticias/?Noticia=446579

Fotos: de acritica.uol.com.br e inteligemcia.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s