Ministro vai levar ao conhecimento da presidente a situação da RSC 470

RNCoordenei a Bancada Gaúcha na reunião com o Ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Oliveira Passos, na ultima terça feira (19) na sede do Ministério.
Questionei o Ministro sobre a situação da Federalização da RSC-470 e recebeu garantias de que os estudos para federalização da rodovia já estão concluídos pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), faltando agora uma decisão política do Planalto sobre o assunto.

RodoviasO ministro se comprometeu em levar este assunto ao conhecimento da presidenta Dilma Rousseff na primeira audiência que tiver acesso a ela. Falei para o Ministro que essa é uma notícia muito esperada pela região da Serra gaúcha, porque trata-se de uma reivindicação histórica da nossa região e uma bandeira da Amesne (Associação do Municípios da Encosta Superior do Nordeste)”, complementou Assis após o encontro.

Na reunião, os parlamentares gaúchos trataram da duplicação e extensão das BRs 285 e da 386, onde o ministro assegurou continuidade das obras.

Ronaldo-nogueira

UNALE apoia a CPI DAS TELES e fará campanha entre todos os Legislativos do Brasil

Ronaldo_nogueiraQuero agradecer a todos que desligaram seus celulares hoje. Foram milhões de aparelhos desligados! continuaremos nossa luta até Julho, todo dia 21 mais e mais pessoas irão aderir à campanha. Ontem estive com o Deputado Ernani Polo na UNALE, União dos Legislativos do Brasil, e ali com outros deputados estaduais ficou definido um calendário de ações conjuntas e entre elas a implementação dessa campanha em todos os estados.

Quero destacar e agradecer o apoio da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, especialmente, que também está apoiando esta campanha. Através do Deputado Ernani Polo e Deputado Jurandir Maciel e todos os deputados da casa estão juntos nesta campanha.

Também conversei com o Presidente Da Câmara Henrique Eduardo Alves sobre a CPI. Tua participação será muito importante! Continue conosco!

CPI DAS TELES

FIERGS apresenta propostas à Bancada Federal Gaúcha

rONALDO nOGUEIRA

Reuniao na FIERGS com a bancada gaucha, aonde foi discutido as 101 Propostas para a Modernização trabalhista , o Projeto Sul Competitivo e o Carvão Mineral. Encontro muito importante para o setor produtivo do nosso Estado.

18/3/2013 – Para apresentar propostas e projetos que colaborem com a melhoria da competitividade industrial e, da economia gaúcha, a Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS) realizou nesta segunda-feira (18), em sua sede, uma reunião com a Bancada Federal. Na pauta do encontro, foram analisados três temas principais: as 101 Propostas para a Modernização Trabalhista, o Projeto Sul Competitivo; e o Carvão Mineral. “Nosso propósito é o de colaborar de forma franca e aberta com propostas aos parlamentares e dialogamos para que nossa economia tenha o maior crescimento possível. Nosso partido é o ‘Partido do Desenvolvimento”, afirmou o presidente da FIERGS, Heitor José Müller, na abertura do encontro, lembrando que esta é a quarta reunião realizada em sua gestão com a Bancada Federal Gaúcha.

O coordenador do Conselho de Relações do Trabalho e Previdência Social (Contrab) da FIERGS, César Codorniz, fez uma explanação sobre as “101 Propostas para Modernização Trabalhista”, estudo realizado por algumas das principais Federações do País, incluindo a FIERGS, a pedido da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Segundo Codorniz, o objetivo do trabalho é aumentar a competitividade. Entre as propostas elaboradas pela CNI estão a valorização e o fortalecimento da negociação coletiva, e a revogação ou a suspensão da obrigatoriedade de utilização do ponto eletrônico. Além disso, a CNI propõe a extinção do adicional de 10% sobre a multa indenizatória do FGTS nos casos de demissão sem justa causa, pois esta parcela não vai para o trabalhador. E defende a criação de incentivos para a contratação de ex-presidiários, entre outros itens.

RONALDO NOGUEIRA_FIERGSJá o Projeto Sul Competitivo, elaborado em conjunto pelas Federações das Indústrias do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, foi resumidamente apresentado pelo coordenador do Conselho de Infraestrutura da FIERGS, Ricardo Portella. O empresário enumerou uma série de obras consideradas prioritárias para o Estado. O principal nó logístico, segundo ele, é a acessibilidade à Região Metropolitana. Entre as sugestões apresentadas estão a adequação da rodovia que liga Dois Irmãos e Porto Alegre, incluindo nesta obra também a BR-448, e a construção da segunda ponte sobre o Guaíba. Soluções a problemas relativos às malhas ferroviária e hidroviária também foram apontadas, como um novo eixo de Integração da Ferrovia Norte-Sul (trecho Sul), a recuperação do molhe leste no porto de Rio Grande e a melhoria da Hidrovia do Mercosul, incluindo a dragagem de terminais na Lagoa dos Patos.

Segundo o novo coordenador da Bancada Federal Gaúcha, Ronaldo Nogueira, a necessidade de reformular e modernizar a legislação, preservando os direitos do trabalhador e desonerando a mão de obra é fundamental. “Ele sugeriu que sindicatos patronais e de trabalhadores sentem em uma mesa conjunta, com o Congresso Nacional, para definir a reforma na legislação.

Em relação à infraestrutura, Nogueira afirmou que o Estado é responsável e precisa ser o protagonista como seu provedor da infraestrutura. “A nossa infraestrutura, tanto ferroviária quanto rodoviária, foi projetada para um desenvolvimento econômico dos anos 60 e hoje estamos no século 21. Temos condições de nos utilizar de outros modais. É necessário o governo ter a iniciativa de buscar parcerias com a iniciativa privada para corrigirmos esses gargalos. Precisamos mais tempo no planejamento e mais precisão na execução”, observou.

O presidente do Sindicato Nacional da Indústria do Carvão, César Faria, também fez uma apresentação sobre a situação do setor e das usinas no Brasil e no Rio Grande do Sul. Faria observou que 66% da energia utilizada no Rio Grande do Sul é importada de outras regiões. Faria observou que as existe perspectiva de se elevar a geração de energia no Estado com termelétricas a carvão, especialmente com dois projetos em Candiota e um em Cachoeira do Sul.

fonte: FIERGS

Expedição oficial avalia o impacto do aumento do nível dos oceanos para o Brasil

481153_508345952544575_591746843_nViajei em missão oficial para a Antártida na semana que passou, na companhia de integrante da comitiva interministerial comandada pela Marinha do Brasil, para conhecer o Programa Antártico Brasileiro (Proantar).

Outros parlamentares, que fazem parte da delegação, acompanharam esta expedição os Senadores Cassio Cunha Lima (PSDB-PB) e Cassildo Maldaner (PMDB-SC) e Lobão Filho (PMDB-MA). Pela Câmara, embarcaram os deputados federais Maria Jô Morais (PCdoB-MG, que é vice-presidente da Frente Parlamentar de Apoio ao Proantar), Manoel Júnior (PMDB-PB), Augusto Coutinho (DEM-PE), Carmem Zanotto (PPS-SC), Rosane Ferreira (PV-PR) e Magda Moffato (PTB-GO). As despesas com transporte e hospedagem dos convidados correram por conta da Marinha do Brasil. 181006_508346112544559_36952651_n

O Proantar é o programa científico instituído pelo governo brasileiro desde janeiro de 1982, com o objetivo de coletar dados meteorológicos na Antártica para estudo sobre a meteorologia da região subantártica e sua importância sobre os sistemas climáticos e de circulação que atingem o Brasil, inclusive a Amazônia. Na verdade, o monitoramO Proantar é o programa científico instituído pelo governo brasileiro desde janeiro de 1982, com o objetivo de coletar dados meteorológicos na Antártica para estudo sobre a meteorologia da região subantártica e sua importância sobre os sistemas climáticos e de circulação que atingem o Brasil, inclusive a Amazônia. ento das variações na massa do gelo permite avaliar o impacto do aumento do nível dos oceanos na costa brasileira e suas consequências socioeconômicas para o país.

IMG_8424

Deputados pedem instalação da CPI da Telefonia Móvel

cpi teles

fonte: Câmara dos deputados