Federação deve garantir a segurança para todos

Santa-Maria-02Santa Maria é uma cidade jovem, onde cerca de 30% da população é de estudantes universitários. Muitos estão lá de passagem, somente até terminar seus estudos, estão longe de suas famílias em busca de conhecimento para um futuro melhor.

Neste final de semana tivemos mais um exemplo da falta de segurança que envolve as diversões em casas noturnas. A partir de uma série de erros 231 jovens perderam suas vidas e assim milhares de sonhos foram apagados.

Como um pai de família consegue ter tranquilidade com seus filhos fora de casa?

É injusto que haja descaso com a segurança dos jovens.  O capitalismo não têm sentimentos. Quanto mais venda de ingressos, mais lucro. Se em Santa Maria, a regra de segurança dos bombeiros estipulava que a boate Kiss tinha capacidade para menos de 700 pessoas, por que os donos da Kiss permitiram que aproximadamente 1.500 pessoas estivessem dentro do recinto naquela noite?

Por que o corpo de bombeiros não fiscalizou essas normas de segurança?

Por que a banda que fazia apresentação naquela noite não sabia que fogos de artifício não podem ser utilizados em ambientes fechados?

Tantas perguntas estão na minha cabeça, imaginem na cabeça dos pais daqueles jovens que perderam suas vidas quando saíam para se divertir.

É preciso criar um sistema rígido de fiscalização, o CREA (Conselho Regional Engenharia Arquitetura Agronomia) é um órgão que poderia contribuir com sugestões para formatação de uma legislação sobre casas de eventos. A realidade é que existe deficiência na presença do Estado Fiscalizador. Esse gargalo é nos três entes da federação.

 

Incêndio é alerta para governo e gestores trabalharem por segurança em espaços públicos, diz ministro

O secretário-geral da Presidência da República, ministro Gilberto Carvalho, disse nesta terça feira (29) que o incêndio de domingo (27) em Santa Maria, Rio Grande do Sul, torna oportuno o alerta do governo aos gestores municipais para que, em conjunto com a área federal, trabalhem por leis e normas precisas para que espaços públicos que recebem multidões ofereçam plena segurança. O incêndio na Boate Kiss provocou a morte de 231 pessoas e ferimentos em 118 durante uma festa promovida por alunos de seis cursos da Universidade Federal de Santa Maria.

“O Brasil inteiro está mobilizado nesse objetivo, para que os gestores municipais tenham cuidado com vidas e aumentem o rigor na renovação de licenciamentos, reforçando o papel dos corpos de Bombeiros e da fiscalização, a fim de garantir o máximo de segurança nesses espaços”, disse Gilberto Carvalho. Embora o episódio não possa ser revertido, enseja providências que evitem a repetição no futuro, ressaltou o ministro, após participar do Encontro Nacional de Novos Prefeitos e Prefeitas Municipais, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília.

O ministro lembrou que o Legislativo federal está propondo uma série de normas sobre a questão da segurança em espaços públicos e ambientes fechados, incluindo uma rigorosa fiscalização nesses locais antes da concessão de licença para realização dos eventos. “Não é possível uma casa de shows funcionar com alvará vencido [como aconteceu no caso da Boate Kiss]. Quando há renovação [da licença], é feita a fiscalização. Por isso, é inconcebível esse tipo de falha.”

Sobre embaraços burocráticos que podem dificultar a concessão de alvarás, Gilberto Carvalho disse que é preciso superar barreiras e sugeriu a conscientização dos prefeitos sobre a questão, porque é na área deles que as coisas acontecem.

Fonte: AGÊNCIA BRASIL