MP quer retirar a expressão “Deus seja louvado” da moeda brasileira

Que a expressão “Deus seja louvado” permaneça na nossa moeda e que os símbolos religiosos de fé do povo brasileiro permaneçam nas repartições públicas

Nesta segunda feira, 12,  a Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão em São Paulo ajuizou ação civil pública, com pedido de liminar, em que pede que as novas cédulas de real sejam impressas sem a frase “Deus seja louvado”.

O comportamento de uma sociedade tem muito a ver com seus costumes, com sua cultura e a fé dessa sociedade. Este ambiente harmonioso, fraterno e pacífico da sociedade brasileira tem muito a ver com o fato de que 90% da sociedade está dividida entre cristãos, católicos, evangélicos, protestantes, espíritas e pentecostais, além de outros segmentos religiosos muçulmanos, budistas, judeus e até mesmo ateus e todos convivem nessa nação maravilhosa de uma forma harmoniosa.
A iniciativa de querer retirar também os símbolos religiosos, como os crucifixos das repartições públicas e retirar da nossa moeda a expressão “Deus seja Louvado” me parece uma afronta aos princípios de fé e ao comportamento de mais de 90% da população brasileira.
Com o devido respeito a iniciativa e a prerrogativa do Ministério Público Federal , mas não me parece conveniente que uma sociedade inteira venha a ser afrontada com uma ação que tem o objetivo de atacar diretamente a fé do povo brasileiro.

USEI A TRIBUNA NA CÂMARA PARA MANIFESTAR MINHA POSIÇÃO

MP quer real sem a frase ?Deus seja louvado?
A Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão em São Paulo ajuizou nesta segunda-feira (12) ação civil pública, com pedido de liminar, em que pede que as novas cédulas de real sejam impressas sem a frase “Deus seja louvado”. De acordo com a ação, a existência da frase nas notas fere os princípios de laicidade do Estado (deve se manter neutro em relação às diferentes concepções religiosas) e de liberdade religiosa.
No pedido feito à Justiça Federal, a procuradoria argumenta que a frase “Deus seja louvado” privilegia uma religião em detrimento das outras.
“Imaginemos a cédula de real com as seguintes expressões: Alá seja louvado? Buda seja louvado? Salve Oxóssi? Salve Lord Ganesha?Deus não existe? – afirma trecho da ação, assinada pelo procurador regional dos Direitos do Cidadão, Jefferson Aparecido Dias. “Com certeza cristalina haveria agitação na sociedade brasileira em razão do constrangimento sofrido pelos cidadãos crentes em Deus”, ressalta.
Parecer jurídico do Banco Central argumenta que na cédula não há referência a uma religião específica e, portanto, é perfeitamente lícito manter a expressão na nota. O BC informou ainda que o fundamento legal para a colocação da frase nas cédulas é o preâmbulo da Constituição brasileira, na qual consta que ela foi promulgada “sob a proteção de Deus”.
A ação foi instaurada sob força de representação do procurador regional Osório Barbosa, que o fez como cidadão.
Contudo, nem o próprio procurador regional dos Direitos do Cidadão tinha notado a frase em letras miúdas nas notas. “Confesso que não tinha notado. Sou católico, mas entendo que tem de levar em consideração as outras pessoas. Nem sei se o dr. Osório (autor da representação) é ateu, mas acho que é uma demanda válida”, disse. Procurado, Osório Barbosa não foi localizado pela reportagem. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Fonte: ESTADÃO

Anúncios