Dia Internacional #contracorrupcao

corrupçao

DIA INTERNACIONAL ANTI-CORRUPÇÃO
A Assembléia Geral da ONU realizada em 31de outubro de 2003, através da Resolução 58/4, declarou 09 de dezembro como o Dia Internacional anti-corrupção, como forma de alertar todos os anos para os males que este câncer politico, social, econômico, cultural e moral causa a todos os países, afetando principalmente as camadas mais pobres e excluidas dos mesmos.

A primeira “comemoração” do DIA INTERNACIONAL ANTI-CORRUPÇÃO, ocorreu na cidade de Mérida, no México, quando de reunião do Organismo da ONU que trata das questões das drogas e criminalidade internacional, em 09 de dezembro de 2004 e desde então esta data tem estado no calendário oficial da ONU e de diversos países.

Em sua mensagem no dia internacional anti-corrupção neste nove de dezembro de 2012, o Secretário Geral da ONUBan Ki-Mon destaca que a corrupção é um fenomeno complexo e envolve aspectos políticos, sociais, culturais e econômicos; destroi as bases da democracia, desmoraliza as instituições nacionais e os governantes, reduz a esperança da juventude quanto ao futuro, desestabiliza as instituições, abala a governabilidade e acaba com a credibilidade dos representantes populares e estimula a desonestidade, as injustiças e corroi os direitos humanos.

Se todos fIzerem a sua parte poderemos mudar este quadro.

1) Primeiro começando agir éticamente e moralmente nos pequenos gestos;

2) Evitando qualquer relacionamento com corruptos e corruptores;

3) Denúnciando todo e qualquer indício de corrupção por quem quer seja.

Anúncios

Anatel quer esfaziar a CPI das teles

Abre o olho consumidor

Planejamentos devem apresentar soluções e não gerar outros problemas. Se realmente fosse acabar a tarifa de interconexão, de onde sairia o investimento para infraestrutura?
A manutenção e investimento em Infraestrutura hoje, quando são cobradas tarifas altíssimas, ja são escassos, se não houver tarifa de interconexão passará a ser nulo?
A Anatel determinou uma redução gradual na cobrança da tarifas, baixando alguns centavos por ano, velocidade menor do que a velocidade em que as tarifas aumentaram. Depois de uma década a agência reguladora não determinou que as operadoras cumprissem o que foi determinado durante a privatização, será agora que terão autoridade sobre essas empresas?
A agência quer regular a opinião pública para abafar a CPI das Teles. A Anatel deveria iniciar cobrando ressarcimento pelos investimentos em infraestrutura que as operadoras deixaram de fazer ao longo dos anos. Estas empresas estão devendo para o país e o país não está nem cobrando esta dívida.

CPI ESVAZIADA

Com a mudança nas regras da cobrança, a Anatel espera esvaziar a CPI das teles, no Congresso, que investiga os ganhos das operadoras com a taxa de interconexão, além da demora da Anatel em resolver a questão.
A CPI já conta com as assinaturas necessárias e sua instalação depende apenas de uma decisão do presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS). Ele já disse ser a favor da CPI, mas que o governo é contra.

 

Anatel reduzirá tarifas entre operadoras

A Anatel (agência que regula o setor de telecomunicações) vai adotar uma medida que pode mudar o preço de ligações entre operadoras diferentes e visa aumentar a concorrência entre as empresas de telefonia celular.
A agência quer acelerar a redução das taxas cobradas quando os clientes ligam para outras operadoras, chamadas de tarifas de interconexão, ou até mesmo eliminá-las. O valor acaba sendo repassado para os clientes.
A Folha apurou que o assunto, em discussão na Anatel há uma década, entrará na pauta do conselho da agência em um mês. Como tem o apoio do governo, deve conseguir a aprovação da maioria dos conselheiros.
Atualmente, 80% das chamadas na telefonia móvel, em média, são feitas para clientes da mesma companhia, com custo mais baixo.
O resultado disso é o chamado “efeito clube”, ou seja, a concentração de usuários e de seus conhecidos em uma mesma operadora, como forma de conseguir tarifas mais baratas -o que prejudica a concorrência no setor.
A princípio, a intenção da Anatel é equilibrar o custo das ligações feitas entre uma mesma empresa e entre operadoras diferentes.
Desde o início do ano, a Anatel determinou redução gradual da cobrança de interconexão, que passou de R$ 0,42, em média, para R$ 0,36, e deve cair para R$ 0,33, em 2013, e para R$ 0,31, em 2014.
Uma das propostas em estudo agora é estabelecer que pelo menos 60% das chamadas entre operadoras fiquem livres da taxação. Outra hipótese é extinguir a cobrança.
Em 2011, as operadoras arrecadaram R$ 20 bilhões com a tarifa de interconexão, 20% da receita líquida dos serviços prestados, segundo dados da consultoria Teleco.
O fim da tarifa pode reduzir a lucratividade das empresas e acabaria com um importante instrumento para fidelizar clientes. O especialista em telecomunicações Eduardo Tude vê risco de as tarifas das ligações entre as mesmas operadoras subirem para compensar esse efeito.
fonte: FOLHA DE SÃO PAULO