Vem aí mais uma campanha por preços justos! #21 #2013

O PROTESTO QUE VOCÊ APÓIA COM APENAS UM DEDO

DIA 21 DE JANEIRO DESLIGUE SEU TELEFONE POR UMA HORA!

attençãoTenho lutado contra a espoliação de grupos econômicos internacionais que detém o controle do mercado de telecomunicações no Brasil.

A falta de respeito com o consumidor brasileiro passou dos limites, os valores cobrados são altíssimos e o serviço prestado é péssimo.

Está mais do que na hora do governo se posicionar a favor do trabalhador neste país.

gibi pag26Em 09 de agosto de 2012, com o apoio de 188 parlamentares, protocolei um pedido de implantação de uma CPI para investigar irregularidades cometidas por operadoras de celular.

Em 21 de novembro entreguei uma denúncia ao Ministério Público Federal representação contra o CADE, ANATEL e Companhias Operadoras de telefonia e, simultaneamente, lancei a campanha DIA #21 DESLIGUE SEU CELULAR EM PROTESTO CONTRA AS ALTAS TARIFAS.

Todo dia 21 faremos nosso protesto até que a união do povo chame a atenção e sejamos ouvidos!

A maioria da câmara dos deputados não se opõe, pelo contrário, está apoiando  esta causa, falta que o atual presidente sancione e faça parte desta luta em favor do trabalhador!gibi pag27

CPI – A instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito, autoriza que sejam feitas investigações sobre a atual situação das telecomunicações no Brasil.

 

Perguntas poderão ser respondidas e os nossos principais questionamentos são:

*Por que no Brasil pagamos tão caro por um serviço que em outros países é acessível à todas as classes sociais?

*Por que os investimentos que deveriam estar sendo feitos com as tarifas cobradas pela interconexão desde o ano de 2002 ainda não vem acontecendo?gibi pag28

*Por que a Anatel não faz nada em relação a isso?

São diversas as nossas dúvidas. Toda vez que pegamos o celular e vemos o saldo “sumindo” nos perguntamos: Por que tanta exploração?

Acredito que uma investigação séria e comprometida com o consumidor poderá trazer soluções e respostas para tantos questionamentos. Tantas dúvidas…gibi pag29

O Brasil assumiu a quarta posição no ranking das operadoras de telefonia que mais faturam em todo o mundo.
Está mais que provado que as operadoras de telefonia não cumpriram o acordo da privatização. Um mercado que cresceu aproximadamente 35 vezes deveria investir mais em infra estrutura e melhoria dos serviços, no entanto as operadoras dominam a lista de consumidores insatisfeitos, dominam a lista de cobranças abusivas e coloca o país na 93ª posição na lista dos países menos desenvolvidos no setor.

É preciso ter muito rigor na fiscalização dos serviços das prestadoras de telefonia móvel. Após a privatização da telefonia móvel, não houve fiscalização do setor e a situação chegou a este estado caótico que se encontra hoje. As operadoras não cumprem com a legislação, não respeitam os consumidores, cobram valores abusivos pelo serviço que é muito mal prestado, e recebem multas irrisórias que na maioria dos casos nem pagas são.

gibi pag30

Anatel apresenta plano que deverá estimular competição no setor de telefonia

Concorrência – Nesta quinta feira (01) vamos conhecer novo plano da Anatel que estimula competitividade na telefonia

O plano de concorrência irá tratar sobre o compartilhamento de antenas, o que poderá gerar competição no setor, só se for pela falta espaço. Acredito que o compartilhamento de antenas deve ser uma ação favorável, principalmente para o meio ambiente.
O aumento do numero de pontos de internet certamente trará maiores possibilidades para os consumidores, atualmente, nem mesmo em Porto Alegre, capital do Estado, o consumidor tem a opção de escolher, as principais empresas de internet não atuam em todos os bairros, não gerando conflito e não gerando opção para quem precisa de internet, o mesmo ocorre com a TV por assinatura.
Mas nenhuma proposta de redução de custos está sendo comentada.

E em qual parte do acordo será tratado sobre a queda das tarifas da telefonia celular para aumentar a competitividade do setor?

 

Regras de competição para telefonia devem ser votadas esta semana

O conselho diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) deverá votar, na próxima quinta-feira (1º), o Plano Geral de Metas de Competição (PGMC), que vai definir regras para estimular a concorrência entre as empresas do setor. Entre as determinações do plano está o compartilhamento de infraestrutura entre as operadoras.
A proposta inicial, que foi colocada em consulta pública em julho do ano passado, prevê regras diferenciadas para grandes e pequenas empresas do setor. Com a aprovação do PGMC, as empresas também deverão ser obrigadas a aumentar o número de pontos de troca de tráfego para internet dos atuais 16 para 67. Segundo a Anatel, isso deverá promover uma redução real do custo de oferta de banda larga no Brasil.
Na área de TV por assinatura, o plano prevê que os usuários poderão comprar seus próprios decodificadores no varejo e solicitar que uma empresa faça a ligação do serviço.
A proposta será apresentada pelo conselheiro Marcelo Bechara, relator da matéria.

 

fonte: JORNAL DO BRASIL

Presidente da OI ignora relatório da ONU

Oi nega que tarifa de telefonia seja cara no Brasil
O Brasil é um país onde a competição se instalou no mercado de telecomunicações, afirmou nesta terça-feira o presidente da Oi, Francisco Valim. O executivo também discordou da percepção de que o custo dos serviços é caro no País e criticou o modelo comercial de planos ilimitados. “Todo mundo acha que é caro como todo mundo acha que ganha pouco“, afirmou Valim, em palestra na Futurecom, evento de negócios do setor de telecomunicações realizado no Rio. Segundo ele, as tarifas no Brasil estão “não muito acima” da média mundial, sem considerar os impostos.
Valim criticou o fato de a carga tributária do setor chegar a 42% da receita das empresas. Segundo o executivo, as empresas investem 15% da receita, o que equivale a “um terço do que contribui sobre a forma de impostos”.
Após a palestra, o presidente da Oi defendeu que a discussão sobre competição e compartilhamento de infraestrutura seja voltada para novas entrantes no mercado, de menor porte. O mesmo não vale para novas infraestruturas. “Não tem uma torre e temos que desenvolver. Vamos compartilhar esse desenvolvimento. Somos completamente favoráveis a essa tese. Se lá no início da privatização tivesse tido essa visão, isso teria sido um modelo até melhor. Hoje, você fica arbitrando entre A e B, e eles são grandes e já competem”, afirmou Valim.

fonte: DIÁRIO DO GRANDE ABC

NA TENTATIVA DE RELATIVIZAR O DEBATE SOBRE A TARIFA TELEFÔNICA NO BRASIL, PRESIDENTE DA OI IGNORA RELATÓRIO DA ONU E DESPREZA OPINIÃO PÚBLICA

Quem tem uma vida sem dificuldades acha que tudo é muito fácil, queria ver senhor presidente da OI, se o senhor fosse assalariado e ganhasse um salário mínimo por mês, continuaria afirmando que as tarifas não são caras? 

Ou o Senhor acha que quem é trabalhador assalariado não têm direito de ter um celular? Quem ganha pouco também não têm o direito de ter luz elétrica?
A telefonia, na atualidade, é uma necessidade básica, assim como a energia elétrica, e quem não recebe salário milionário considera as tarifas altíssimas, essa é a realidade brasileira!

A opinião do presidente da OI não têm fundamento, estudo da ONU confirmou que as tarifas da telefonia brasileira são abusivas. Afirmar que as tarifas não são caras é opinião de quem está mal informado, e neste caso não têm conhecimento do seu próprio negócio.

VEJA O QUE DIZ ESTUDO DA ONU

CLIQUE AQUI E INFORME-SE