#Museus: Digitalizando o conhecimento

livros-antigos“Os Museus são pontes, portas e janelas que ligam e desligam mundos…”

A internet é uma grande conquista tecnológica, mas precisamos preservar as fontes de pesquisas, materiais históricos, livros, eles são a base da criatividade.
Estou com o projeto SISMU que visa apoiar para informatização da área museal brasileira, com visão nos grandes eventos esportivos e culturais. Em reunião com José Nascimento, Presidente do Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), membros de minha equipe prestaram apoio ao projeto que visa documentar e digitalizar acervos de instituições Museológicas brasileiras, utilizando metodologias inovadoras e respeitadas internacionalmente.
Minha preocupação é com o legado cultural e estrutural dos museus do nosso país, com o projeto do SISMU informações serão preservadas e democratizadas para pesquisadores do mundo todo destacando nosso acervo.

 

Por que o Sismu?
O mais completo sistema museológico do Brasil
O Projeto Sismu nasceu com o objetivo de unir a conservação de acervos museológicos, a interatividade e a difusão do conhecimento, através da utilização de tecnologias revolucionárias para criação de um ambiente inovador dentro dos Museus. Se você procura, uma ferramenta que realmente atenda às necessidades de seu museu, conte conosco. Sismu oferece:
Autonomia e controle na gestão de seu acervo;
Democratização e universalização do acesso ao patrimônio museologico;
Confidencialidade, Integridade e Disponibilidade das Informações;
Museus interligados;
Formação e Capacitação de sujeitos para operar o sistema;
Tradução de conteúdo para os idiomas Inglês e Espanhol;

Nossa solução permite aos museus, galerias e centros de visitantes comunicar-se com o seu público apresentando seu conteúdo de modo interativo e em vários idiomas. Os objetos ganham vida e as histórias podem ser estudadas e apreciadas.
Influencie, forme opiniões, comunique-se.
O universo museológico precisa reinventar-se.

O 20 de Setembro é a Marca do Povo Gaúcho

Parabéns Povo Guerreiro, 

Parabéns Povo de Coragem,

Parabéns Gaúcho!!!

Em 20 de setembro de 1835, os farroupilhas, liderados por Bento Gonçalves, venciam o confronto da Ponte da Azenha e entravam na província de Porto Alegre. Iniciou-se a Guerra dos Farrapos, o mais duradouro conflito armado da história do Brasil, que resultou na declaração de independência do Estado do Rio Grande do Sul, dando origem à República do Piratini, que durou cerca de sete anos.
A Guerra dos Farrapos, também chamada de Revolução Farroupilha, é o mais longo conflito armado ocorrido em território brasileiro (teve início em 1835 e terminou em 1845). É considerada uma das mais importantes passagens da história do Rio Grande do Sul, um marco da formação social e política do Estado. A importância do dia 20 de setembro é tão grande que em 1978 foi decretado feriado em todo o Estado pela lei estadual 4.453/78. Sirvam nossas façanhas de modelo a toda terra!

O dia de hoje vai mudar a história da #telecomunicação no Brasil

Deputado protocola nesta quarta pedido para criar CPI da Telefonia

BRASÍLIA – O deputado Ronaldo Nogueira (PTB-RS) afirmou  nesta terça-feira que protocolará nesta quarta-feira o pedido de abertura de uma  Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a cobrança da tarifa de  interconexão sobre a rede móvel de telefonia.

Nogueira informou que 212 parlamentares apoiaram a iniciativa – 41  assinaturas a mais que o mínimo necessário para requerer a instalação de uma  CPI. Ele pretende chegar a 250 assinaturas antes de entregar o requerimento à  Mesa Diretora da Câmara.

O deputado Nogueira disse que o objetivo do grupo é apurar a cobrança da taxa  que incide em ligações entre clientes de diferentes operadoras de telefonia  móvel e nas chamadas entre telefones fixo e celular.

O deputado aponta que a arrecadação das teles em cima desta tarifa representa  mais de 40% do faturamento bruto das empresas. “A estimativa de arrecadação  irregular em cima da tarifa de interconexão, de 2002 para cá, por parte das  operadoras, chega a cifra de R$ 50 bilhões”, declarou.

O deputado afirmou que, hoje, os preços das tarifas de telefonia celular  variam entre R$ 0,36 e R$ 0,42, enquanto os preços praticados pelas empresas de  telefonia fixa ficam entre R$ 0,03 e R$ 0,06. Um dos fatores para a discrepância  nos valores, segundo Nogueira, são os valores da tarifa de interconexão cobrados  pelas empresas de telefonia celular.

fonte: Valor Econômico