Idéias criativas: Arremesso de celular é a melhor maneira de descartar o aparelho velho

Há muitos anos convivemos com o problema da pilhas e baterias que não sabemos como descartar. Esses materiais não podem ser jogados no lixo comum, pois possuem substâncias poluentes como mercúrio, chumbo e cádmio, que agridem o meio ambiente e são altamente prejudiciais à saúde.  A maioria dos usuários guardam em casa baterias velhas de celulares, carcaças, antenas e outros acessórios por não saberem como descartá-las de forma correta

As usinas de reciclagem também não têm destino correto a elas. Por que a política reversa não funciona no Brasil? Quem produz o lixo deveria ser responsável por ele. O mais indicado é devolvê-las para a indústria por meio de postos de coletas, instalados nas cidades pelas fabricantes e pelas operadoras de telefonia para reciclagem.

Fabricantes de aparelhos, que juntamente com as operadoras lucram milhões com vendas de celular, deveriam ter a responsabilidade de recolher o material produzido e reciclar.

Então, arremesse seu celular!

Quem realmente está preocupado com o meio ambiente é a própria população, são os consumidores. Enquanto as fábricas só pensam em produzir e lucrar, os brasileiros criam formas e campanhas de conscientização e destino correto destes materiais.

As idéias são as mais criativas, um grupo criou o Torneio Sul-Americano de Arremesso de Celular, um evento que une esporte, humor e conscientização ambiental. O primeiro campeonato brasileiro de arremesso de celular  aconteceu em São Paulo em 2008. A Idéia surgiu na Finlândia.

Em Fóz do Iguaçu, aconteceu no ultimo domingo, 16,  a 5ª edição do evento que une esporte, humor e conscientização ambiental.

A quinta edição do torneio de arremesso de celulares e notebooks reuniu 420 competidores neste domingo (16), em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. De acordo com o organizador Gabriel Antônio de Campos Neto, o objetivo do evento foi livrar o meio ambiente dos dois produtos e encaminhá-los para a reciclagem. Durante o torneio foram arrecadadas três toneladas de alimentos não perecíveis. A competição começou às 11h e encerrou às 17h.
O primeiro lugar na categoria notebooks foi para Calixto Avelino Júnior, que lançou o aparelho a 34 metros de distância. Já na categoria celulares, os campeões foram Ricardo Borges de Oliveira, que lançou o telefone a 99 metros de distância e Tatiane D’ávila Cardoso, que jogou o aparelho há 46 metros.

Os objetos coletados serão enviados para uma empresa especializada na reciclagem de eletrônicos. Lá, cada aparelho será desmontado e irá passar por uma triagem para depois seguir à destinação correta, sendo que o que não for aproveitado é encaminhado para um aterro controlado. Em 2011 foram coletadas quase dez toneladas de equipamentos, segundo Gabriel.

O evento é uma campanha que utiliza a promoção deste novo “esporte” (arremesso de celular) para chamar a atenção da sociedade e divulgar a conscientizar a população sobre a importância da reciclagem do lixo eletrônico.

Os celulares são arrecadados e as baterias, separadas.

Esta é uma preocupação recente, mas que merece atenção, pois o lixo que formado por eletrônicos velhos, sejam aqueles substituídos ou aqueles que não funcionam, devem ter um destino diferente do lixo comum. Quanto à celulares, a preocupação é ainda maior, visto que as baterias causam um enorme estrago ao meio ambiente.

Segundo este site, o evento começou sem grandes pretensões, inspirado em eventos do gênero realizados na Finlândia e em São Paulo, e cresceu rapidamente. Parece-me uma excelente ferramenta de divulgação e conscientização para reciclagem, obsolescência da tecnologia e sustentabilidade.

RECORDES DE ARREMESSO

Até agora, o recorde do evento Sul-Americano é de 87,23 metros. Já o recorde mundial masculino é de 94,97 metros, e o recorde mundial feminino, de 41 metros. O evento mundial acontece na Finlândia.

Na Finlândia, já existem categorias e modalidades de arremesso de celular. Se a ideia expandir, logo teremos as “olimpíadas” do Celular: celular-ao-alvo; corrida com barreiras falando no celular, boliche de celulares, badminton com celular no lugar da peteca, Fut-phone, etc. Particularmente, acho que jogar baseball com um celular no lugar da bola seria divertidíssimo.

Fonte: http://www.faberludens.com.br/pt-br/node/2544

Boas idéias, boas soluções! Antenas de celular que parecem árvores

Com projetos que “camuflam” as antenas, elas parecem menos agressivas ao meio ambiente e não poluem a paisagem.

Antenas que parecem árvores

Revestimento deixa antenas parecidas com plantas e ameniza o impacto visual das torres no meio ambiente.

O alemão Robert Voit, designer e fotógrafo, desenvolveu revestimentos que camuflam essas torres com a aparência de árvores nativas, para amenizar o impacto visual que as antenas de telefonia móvel causam aos ambientes em que são instaladas.

O projeto, chamado New Trees (Novas Árvores, em uma tradução livre), tem sido trabalhado desde 2003. Atualmente, o invento de Voit já está presente nos EUA, Grã-Bretanha, África do Sul, Coreia, Itália e Portugal. A ampla gama de “trajes” artificiais inclui árvores coníferas, pinheiros, palmeiras e cactos enormes.

O resultado da aplicação das camuflagens, em alguns casos, é tão real que mal se percebe a diferença entre a antena revestida e o ambiente ao seu redor. As “capas mágicas” – como o inventor gosta de chamar sua obra – têm um grande potencial de crescimento no mercado, principalmente, com a maior notoriedade da sustentabilidade dentro da sociedade.

Fonte: Blog Apocalipse em tempo real