História da Telefonia Celular no Brasil é contada através de Desenho Animado

Gibi conta história da telefonia no Brasil 

Tarifa nas Estrelas é uma publicação do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé. A história em quadrinhos relata o drama dos brasileiros com a dificuldade de uso de seu aparelho de celular e a dificuldade de inclusão digital enfrentada pela pais que tem o sexto mais PIB do mundo.

A história conta o drama dos personagens que vieram do futuro e ficaram sem créditos no celular para contatar a nave que os levaria de volta a seu tempo. A sátira é contada com exemplos da história da telefonia no país.

Demonstrando a insatisfação de praticamente todos os brasileiros, o GIBI é muito explicativo e faz graça com os usuários, a péssima qualidade do serviço e as tarifas abusivas.

O material faz alusão a CPI e a necessidade da existência de uma investigação que irá mostra que as cobranças são ilegais e abusivas. E chama a atenção dos brasileiros para cada um fazer a sua parte.

Acesse o site http://www.cpidasmoveis.org no link GIBI e boa leitura!

Presidente da OI ignora relatório da ONU

Oi nega que tarifa de telefonia seja cara no Brasil
O Brasil é um país onde a competição se instalou no mercado de telecomunicações, afirmou nesta terça-feira o presidente da Oi, Francisco Valim. O executivo também discordou da percepção de que o custo dos serviços é caro no País e criticou o modelo comercial de planos ilimitados. “Todo mundo acha que é caro como todo mundo acha que ganha pouco“, afirmou Valim, em palestra na Futurecom, evento de negócios do setor de telecomunicações realizado no Rio. Segundo ele, as tarifas no Brasil estão “não muito acima” da média mundial, sem considerar os impostos.
Valim criticou o fato de a carga tributária do setor chegar a 42% da receita das empresas. Segundo o executivo, as empresas investem 15% da receita, o que equivale a “um terço do que contribui sobre a forma de impostos”.
Após a palestra, o presidente da Oi defendeu que a discussão sobre competição e compartilhamento de infraestrutura seja voltada para novas entrantes no mercado, de menor porte. O mesmo não vale para novas infraestruturas. “Não tem uma torre e temos que desenvolver. Vamos compartilhar esse desenvolvimento. Somos completamente favoráveis a essa tese. Se lá no início da privatização tivesse tido essa visão, isso teria sido um modelo até melhor. Hoje, você fica arbitrando entre A e B, e eles são grandes e já competem”, afirmou Valim.

fonte: DIÁRIO DO GRANDE ABC

NA TENTATIVA DE RELATIVIZAR O DEBATE SOBRE A TARIFA TELEFÔNICA NO BRASIL, PRESIDENTE DA OI IGNORA RELATÓRIO DA ONU E DESPREZA OPINIÃO PÚBLICA

Quem tem uma vida sem dificuldades acha que tudo é muito fácil, queria ver senhor presidente da OI, se o senhor fosse assalariado e ganhasse um salário mínimo por mês, continuaria afirmando que as tarifas não são caras? 

Ou o Senhor acha que quem é trabalhador assalariado não têm direito de ter um celular? Quem ganha pouco também não têm o direito de ter luz elétrica?
A telefonia, na atualidade, é uma necessidade básica, assim como a energia elétrica, e quem não recebe salário milionário considera as tarifas altíssimas, essa é a realidade brasileira!

A opinião do presidente da OI não têm fundamento, estudo da ONU confirmou que as tarifas da telefonia brasileira são abusivas. Afirmar que as tarifas não são caras é opinião de quem está mal informado, e neste caso não têm conhecimento do seu próprio negócio.

VEJA O QUE DIZ ESTUDO DA ONU

CLIQUE AQUI E INFORME-SE

 

Falta informação para o #consumidor

Eu já fiz minha parte! Elaborei uma pesquisa sobre a atual situação da telefonia no Brasil com a proposta de contribuir para o esclarecimento do assunto e apresentar soluções baseadas em melhores praticas e experiências internacionais.
Na cartilha TELEFONIA NO BRASIL: A TARIFA MAIS CARA DO MUNDO, busquei mostrar aos brasileiros o abuso que são a cobrança de tarifas da telefonia móvel. Dados apontam que o minuto de ligação no Brasil chega a ser 38 vezes maior que na Índia, sendo que 82%, dos mais de 250 milhões de linhas, são utilizados pela população menos favorecida. O que deveria ser uma solução de acessibilidade para o trabalhador, passou a ser motivo de indignação, pois com tarifas tão altas o consumidor brasileiro passou a ser um dos consumidores que menos utiliza este serviço, o que é negativo até mesmo para a inclusão social.
No Brasil, falta competitividade no setor e a agência reguladora favorece as operadoras, o abuso de poder econômico atrasa o desenvolvimento tecnológico e social e a falta de informação e atendimento é um desrespeito com o consumidor.
Cartilhas informativas são muito importantes, mas não resolve o problema, temos um longo caminho pela frente, muito ainda há de ser feito. A CPI deverá ser o marco de mudança para a história da telefonia brasileira.

 
Telefônicas poderão ser obrigadas a oferecer cartilhas explicativas
A Câmara analisa proposta que obriga as empresas de telefonia a oferecer aos usuários cartilhas com explicações sobre as normas de contratação de seus serviços. A medida está prevista no Projeto de Lei 4078/12, do deputado Giroto (PMDB-MS).
Pela proposta, as cartilhas devem estar disponíveis nos locais de comercialização ou ativação de linhas. Os impressos deverão conter informações gerais sobre os contratos de adesão, a qualidade do serviço e os procedimentos para portabilidade do número entre empresas. “Trata-se de providência simples, mas que deverá melhorar a compreensão do usuário quanto ao serviço contratado e dar-lhe parâmetros para uma adequada decisão de consumo”, argumenta Giroto.
O parlamentar ressalta ainda que as empresas de telefonia são recordistas de queixas nos órgãos de proteção ao consumidor. “Várias das reclamações dos usuários têm sua raiz na falta de clareza quanto às disposições do contrato de adesão oferecido pela operadora e às garantias que a regulamentação oferece”, alerta.
Tramitação
A proposta, que tramita em caráter conclusivo, será analisada pelas comissões de Defesa do Consumidor; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.
fonte: CÂMARA DOS DEPUTADOS