Brasileiro também quer qualidade – Telefonia está entre os piores serviços oferecidos no país

A relação Custo X Benefício sai caro para os brasileiros. Estão todos cansados de pagar caro por um serviço que não atinge as expectativas e quando o usuário mais precisa fica na mão.

Não é justo com o consumidor, chega de ficar esperando: CPI das teles Já!

 

Telefonia móvel entre as mais reclamadas
Transtornos mais corriqueiros vão desde refazer a ligação para concretizar chamada a atendimento precário

Os mais jovens não imaginam como era a vida sem celular. Não conseguem. Tamanha é a utilidade e a gama de serviços contidos nesse aparelho, que cabe no bolso. Contudo, se por um lado os mais velhos não tinham acesso a essa tecnologia, por outro, também estavam livres de aborrecimentos inerentes apenas às gerações atuais. O serviço de telefonia celular está entre os mais reclamados do Estado do Ceará e também do Brasil.
Preço para utilizar a tecnologia que outras gerações não tiveram acesso é muito elevado devido ao número crescente de aborrecimentos.

Para se ter uma ideia de como as operadoras de telefonia desse setor, de uma forma geral, têm deixado a desejar; de acordo com o site Reclame Aqui, nos últimos 30 dias, três das quatro empresas mais citadas nas reclamações no mercado brasileiro são do segmento de telefonia móvel. Até ontem (23 de outubro), a TIM liderava com 2.984 notificações no site. Claro tinha 2,4 mil e OI com 2.110 ocorrências. A outra empresa que aparece entre as quatro mais contestadas pelos consumidores é da área de TV por assinatura.

Problemas mais frequentes

Muitos são os relatos descritos no Reclame Aqui com referência às empresas de telefonia celular, nas redes sociais e nos órgãos de defesa do consumidor.

Os principais deles são sinal ruim; dificuldades em fazer ligações, tendo que repetir a operação para concretizar as chamadas; serviço de mensagem com retardo no recebimento, ligações erradas sem motivos; lentidão da internet 3G; créditos debitados erroneamente; cobrança indevida; recarga feita e não computada; atendimento ao cliente precário, dentre outros que poderiam preencher todo o restante dessa reportagem.

Cada problema desse, por menor que possa parecer, gera aborrecimentos e, algumas vezes, prejuízos financeiros, além de, principalmente, a sensação de que não está o cliente não está sendo atendido a contento. Preço muito alto para se ter à disposição essa tecnologia avançada. Reflexo do impulso do mercado no Brasil que requer mais investimentos por parte das empresas do setor.

O que elas dizem

Quanto ao aumento das reclamações nos últimos dias, as operadoras se defendem e tentam mostrar que estão buscando constantemente melhorias para atender o público cearense.

Em nota, a Claro informa que não registrou nenhuma anormalidade na sua rede no Estado nas últimas semanas. “A Claro destaca ainda que o Ceará é um estado muito importante para a operadora, que realiza investimentos constantes em cobertura e em infraestrutura na região”, afirma a empresa.

A TIM afirma que vem realizando fortes investimentos com o objetivo de atingir a máxima satisfação dos seus clientes no Ceará. “No triênio 2012-2014, a companhia prevê o investimento de R$ 172 milhões no Estado, somente em infraestrutura, tendo em vista o crescimento da demanda de clientes e, consequentemente, de tráfego de voz e dados”. A empresa diz que “o Ceará receberá cerca 500 quilômetros de fibra óptica até 2013, completando a rede metropolitana de Fortaleza e atendendo a cidades do interior cearense. Ao final deste ano, a TIM espera ter modernizado cerca de 70% de todas as ERBs que possui no Ceará”, conta, em nota.

A OI assinala que investe R$ 180 milhões no Ceará neste ano. O valor representa um aumento de praticamente 50% em relação aos R$ 121 milhões que foram investidos pela companhia em 2011. “A previsão é de que até o final de 2012 mais 144 sites de telefonia móvel 2G e 3G sejam instalados no Estado”.

fonte: DIÁRIO NORDESTE

Anúncios

#Celular: O campeão de reclamações no Procon é o quarto mercado que mais lucra no Brasil

Brasil é o quarto maior mercado de telecomunicações

O Brasil tem quase 260 milhões de linhas celulares. O país é o quarto maior mercado de telecomunicações do mundo, mas o serviço de telefonia móvel são os maiores alvos de reclamação dos consumidores.
Insatisfeita com a sua operadora de celular Michelle Fugimoto – analista de vendas, resolveu contratar uma nova empresa, mas algumas contas da antiga empresa, inclusive de produtos que ela não contratou, passaram a ser cobrados mesmo após a portabilidade. Quase 4 meses depois o problema continua “eu passei na operadora, na loja, e o atendente disse que eu deveria procurar o Procon por que eles não poderiam me ajudar” afirma a cliente.
No primeiro semestre deste ano as operadoras ocuparam o quarto lugar no ranking de reclamações do Procon de São Paulo, o maior do país, o numero de queixas cresceu 30% em relação ao mesmo período do ano passado.
A consumidora Aline Andrade – estudante, enfatiza: “já chegue a ficar quase um mês pra resolver problema com telefonia, pra trocar numero e recuperar”. Diego Santana – analista contábil – argumenta que “o maior problema de todos é a demora no atendimento e a queda de linhas”.
Mesmo com tantas falhas, o faturamento da telefonia do Brasil é um dos maiores do mundo. O país é o quarto mercado mundial, segundo um relatório recente da União Internacional das Telecomunicações (UIT). O levantamento mostra que a receita das empresas em 2009 passou de 78 milhões de dólares o que corresponde a quase 160 milhões de reais hoje.
As falhas no serviço fizeram a Anatel (Agência Nacional de Comunicações) suspender por um , em julho, a venda de chips de três operadoras. A Anatel deu prazo até novembro para as empresas melhorarem o atendimento às queixas dos clientes.
O Procon (SP) aconselha os consumidores a reclamar com as operadoras pelo telefone, utilizando o serviço de atendimento ao consumidor. É importante também registrar o numero do protocolo e em caso de problema não resolvido solicitar a cópia da gravação do atendimento. O Procon (SP) diz que é necessário que haja uma pressão pública e dos órgãos de defesa do consumidor para que as empresas de telefonia adotem um política de melhor atendimento aos consumidores.

fonte:

Insatisfação de usuários da telefonia resultam em 16,9 milhões de migrações entre operadoras

A portabilidade facilitou a migração de uma operadora para outra sem mudar o numero do contato, o que também destacou a insatisfação dos clientes é o que mostram os dados abaixo. A meu ver, quem está contente com um determinado serviço não realiza tantas migrações.

 

Portabilidade numérica propicia 17 milhões de trocas de operadoras em 4 anos.

Serviço que começou a ser implantado em 2008 é mais usado por donos de linhas celulares (65%)

 
Após quatro anos de implantação, a portabilidade numérica no Brasil propiciou 16,9 milhões de migrações entre operadoras de telefonia, por usuários de telefones fixos e móveis, sem mudança do número de identificação. Os dados são do último relatório da Associação Brasileira de Recursos em Telecomunicações (ABR Telecom), entidade administradora da portabilidade numérica no País.

 
Desde setembro de 2008 até o dia 30 de setembro de 2012, foram realizadas 5,9 milhões (35%) de transferências por assinantes de telefones fixos e 11 milhões (65%) por usuários de terminais móveis.  
No terceiro trimestre deste ano foram efetivadas 1,16 milhão de transferências de operadora de telefonia pelo serviço de portabilidade numérica.  De acordo com o levantamento da ABR Telecom, entre os meses de julho e setembro de 2012, foram processadas 42% (483 mil) das migrações a pedido de usuários de telefones fixos e 58% (677 mil) de móveis, demonstrando que a estabilidade em relação ao trimestre anterior permanece.

 
No segundo trimestre de 2012 (abril a junho), do total de 1,23 milhão de portabilidades numéricas efetivadas, a telefonia fixa respondeu por 40% deste movimento e a móvel por 60%. A título de comparação, no terceiro trimestre de 2011, foram efetivadas 1,51 milhão de migrações, das quais 37% demandadas por assinantes do serviço fixo e 63% do móvel.

fonte: http://telesintese.com.br/index.php/plantao/20890-portabilidade-numerica-propicia-17-milhoes-de-trocas-de-operadoras-em-4-anos

#CPI da telefonia: Mais e mais brasileiros insatisfeitos com o sistema da telefonia aderam a campanha contra as altas tarifas

Manifestantes vão ao Congresso Nacional mostrar a discrepância entre o valor da tarifa no Brasil e na Índia.
TARIFA NO BRASIL: Mais de 30 vezes mais cara. Além de péssima qualidade nos serviços.
Os protestos contra as ALTAS TARIFAS DE CELULAR estão aumentando. Na semana passada manifestante estiveram na Câmara dos Deputados, visitaram meu gabinete com o abaixo assinado com mais de 20 mil assinaturas e percorreram o salão verde e o plenário fazendo diversas encenações sobre a forma como o brasileiro utiliza o celular, com sinal ruim e tarifas absurdamente caras.
Estes manifestantes integram grupos de defesa do consumidor e entregaram um pedido ao deputado Marco Maia, com uma que vem referenciando esta campanha, nela está desenhado um mapa apontando valores das tarifas em outros países.

CPI da telefonia móvel sai com pressão popular

Há resistências fortes na base parlamentar do governo para instalar a CPI da telefonia móvel. O autor do requerimento, o deputado Ronaldo Nogueira (PTB-RS), colheu 188 assinaturas, 17 a mais do que o número mínimo regimental para instalar a comissão.

Agora falta combinar com os colegas. Embora ele aposte que a CPI tem 70% de chances de vingar, há um longo caminho até fazer as empresas do setor explicarem no Parlamento os seus preços, a qualidade de seus serviços e o destino de parte da receita para investimentos.

O processo está, agora, nas mãos do presidente da Câmara, Marco Maia. Há seis pedidos de CPI encalhados: Ecad, Operação Monte Carlo e trabalho infantil. Pelo regimento, a Casa pode ter cinco CPIs simultâneas. Atualmente, são três: trabalho escravo, tráfico de pessoas e exploração sexual. Só depende de Maia fazer a fila andar.

Depende também de vontade popular. Nogueira iniciou uma campanha na internet de apoio à CPI. Ele sabe que sem pressão não sai.

Fonte: IG – Poder Econômico

Agora  o foco é pressionar o Presidente da Câmara, o Deputado Marco Maia, a instalar ainda neste ano, em meados de outubro, esta Comissão Parlamentar de Inquérito que irá investigar as altas tarifas cobradas pela telefonia e a relação entre as 4 grandes operadoras e a Agência Reguladora. Ao final desta investigação o objetivo é fazer as operadoras Vivo, Claro, Tim e Oi, cumprir as leis deste país onde estão instaladas e explorando o serviço.

Com a Campanha INSTALA, MAIA!

Populares querem chegar às 100 MIL ASSINATURAS no abaixo assinado e mostrar a força que os brasileiros têm diante de tanta insatisfação de um sistema altamente tarifado.

Uma reportagem feita em fevereiro de 2010, pelo Jornal da Gazeta de São Paulo, fala exatamente o que estamos debatendo hoje, e comprova que a insatisfação dos brasileiros não é nenhuma novidade.

O custo das ligações entre telefones celulares no Brasil é o segundo mais alto do mundo. As tarifas daqui só ficam abaixo das que são praticadas na África do Sul.
Entre os vilões, que jogam os preços lá em cima, estão a chamada taxa de interconexão, cobrada quando a ligação é feita entre operadoras diferentes, e os impostos estaduais e federais, que chegam a 42% do valor pago pelo usuário.

Veja o video: