#Museus: Digitalizando o conhecimento

livros-antigos“Os Museus são pontes, portas e janelas que ligam e desligam mundos…”

A internet é uma grande conquista tecnológica, mas precisamos preservar as fontes de pesquisas, materiais históricos, livros, eles são a base da criatividade.
Estou com o projeto SISMU que visa apoiar para informatização da área museal brasileira, com visão nos grandes eventos esportivos e culturais. Em reunião com José Nascimento, Presidente do Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), membros de minha equipe prestaram apoio ao projeto que visa documentar e digitalizar acervos de instituições Museológicas brasileiras, utilizando metodologias inovadoras e respeitadas internacionalmente.
Minha preocupação é com o legado cultural e estrutural dos museus do nosso país, com o projeto do SISMU informações serão preservadas e democratizadas para pesquisadores do mundo todo destacando nosso acervo.

 

Por que o Sismu?
O mais completo sistema museológico do Brasil
O Projeto Sismu nasceu com o objetivo de unir a conservação de acervos museológicos, a interatividade e a difusão do conhecimento, através da utilização de tecnologias revolucionárias para criação de um ambiente inovador dentro dos Museus. Se você procura, uma ferramenta que realmente atenda às necessidades de seu museu, conte conosco. Sismu oferece:
Autonomia e controle na gestão de seu acervo;
Democratização e universalização do acesso ao patrimônio museologico;
Confidencialidade, Integridade e Disponibilidade das Informações;
Museus interligados;
Formação e Capacitação de sujeitos para operar o sistema;
Tradução de conteúdo para os idiomas Inglês e Espanhol;

Nossa solução permite aos museus, galerias e centros de visitantes comunicar-se com o seu público apresentando seu conteúdo de modo interativo e em vários idiomas. Os objetos ganham vida e as histórias podem ser estudadas e apreciadas.
Influencie, forme opiniões, comunique-se.
O universo museológico precisa reinventar-se.

#Vida um Direito Constitucional

Identificamos que desde o ano de 2009 a Fundação Oswaldo Cruz, em parceria com o Ministério da Saúde pesquisa e estuda o aborto no Brasil bem como sua descriminalização.

O direito à vida está na Constituição Federal deste País. A descriminalização do aborto é um tema polêmico e divide opiniões, uns defendem a tese de que a mãe tem o direito de escolher, neste caso, onde fica o direito da criança?
Existe também o caso dos fetos anencéfalos, em que o feto virá a óbito, ele pode sobreviver minutos após o nascimento ou nem mesmo nascer, ou pode sobreviver por sete dias ou mais e assim ter a chance de conhecer o aconchego do colo de sua mãe.

Dado o compromisso que a FPE – Frente Parlamentar Evangélica tem com a defesa da vida e ao fato da então candidata Dilma ter dito que, se eleita, seu governo não apoiaria nenhuma iniciativa relacionada à fomentar ou descriminalizar o aborto, é que apresentamos um requerimento junto à Câmara dos Deputados que sejam solicitadas informações ao Senhor Ministro da Saúde, no sentido de esclarecer sobre Termos de Cooperação e Convênios destinados a estudo e pesquisa sobre aborto e descriminalização do aborto no Brasil. Neste projeto foram investidos R$ 121.990,00 (cento e vinte e um mil novecentos e noventa reais).
Com o intuito de acompanhar o investimento que vem sendo feito no sentido de “dar apoio financeiro para Estudo e Pesquisa Sobre aborto no Brasil” e obter a informação de que os termos de cooperação foram realmente repassados pelo Ministério para a fundação Oswaldo Cruz ou somente apresentados no Diário Oficial, solicitamos o acesso às informações de valores, notas, empenhos e prestação de contas.
Queremos o melhor para nossos irmãos e vamos batalhar sempre, acompanhe meu site, pagina no site da Câmara dos Deputados e minhas redes sociais e saiba o desenvolvimento de cada projeto.