FIERGS apresenta propostas à Bancada Federal Gaúcha

rONALDO nOGUEIRA

Reuniao na FIERGS com a bancada gaucha, aonde foi discutido as 101 Propostas para a Modernização trabalhista , o Projeto Sul Competitivo e o Carvão Mineral. Encontro muito importante para o setor produtivo do nosso Estado.

18/3/2013 – Para apresentar propostas e projetos que colaborem com a melhoria da competitividade industrial e, da economia gaúcha, a Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS) realizou nesta segunda-feira (18), em sua sede, uma reunião com a Bancada Federal. Na pauta do encontro, foram analisados três temas principais: as 101 Propostas para a Modernização Trabalhista, o Projeto Sul Competitivo; e o Carvão Mineral. “Nosso propósito é o de colaborar de forma franca e aberta com propostas aos parlamentares e dialogamos para que nossa economia tenha o maior crescimento possível. Nosso partido é o ‘Partido do Desenvolvimento”, afirmou o presidente da FIERGS, Heitor José Müller, na abertura do encontro, lembrando que esta é a quarta reunião realizada em sua gestão com a Bancada Federal Gaúcha.

O coordenador do Conselho de Relações do Trabalho e Previdência Social (Contrab) da FIERGS, César Codorniz, fez uma explanação sobre as “101 Propostas para Modernização Trabalhista”, estudo realizado por algumas das principais Federações do País, incluindo a FIERGS, a pedido da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Segundo Codorniz, o objetivo do trabalho é aumentar a competitividade. Entre as propostas elaboradas pela CNI estão a valorização e o fortalecimento da negociação coletiva, e a revogação ou a suspensão da obrigatoriedade de utilização do ponto eletrônico. Além disso, a CNI propõe a extinção do adicional de 10% sobre a multa indenizatória do FGTS nos casos de demissão sem justa causa, pois esta parcela não vai para o trabalhador. E defende a criação de incentivos para a contratação de ex-presidiários, entre outros itens.

RONALDO NOGUEIRA_FIERGSJá o Projeto Sul Competitivo, elaborado em conjunto pelas Federações das Indústrias do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, foi resumidamente apresentado pelo coordenador do Conselho de Infraestrutura da FIERGS, Ricardo Portella. O empresário enumerou uma série de obras consideradas prioritárias para o Estado. O principal nó logístico, segundo ele, é a acessibilidade à Região Metropolitana. Entre as sugestões apresentadas estão a adequação da rodovia que liga Dois Irmãos e Porto Alegre, incluindo nesta obra também a BR-448, e a construção da segunda ponte sobre o Guaíba. Soluções a problemas relativos às malhas ferroviária e hidroviária também foram apontadas, como um novo eixo de Integração da Ferrovia Norte-Sul (trecho Sul), a recuperação do molhe leste no porto de Rio Grande e a melhoria da Hidrovia do Mercosul, incluindo a dragagem de terminais na Lagoa dos Patos.

Segundo o novo coordenador da Bancada Federal Gaúcha, Ronaldo Nogueira, a necessidade de reformular e modernizar a legislação, preservando os direitos do trabalhador e desonerando a mão de obra é fundamental. “Ele sugeriu que sindicatos patronais e de trabalhadores sentem em uma mesa conjunta, com o Congresso Nacional, para definir a reforma na legislação.

Em relação à infraestrutura, Nogueira afirmou que o Estado é responsável e precisa ser o protagonista como seu provedor da infraestrutura. “A nossa infraestrutura, tanto ferroviária quanto rodoviária, foi projetada para um desenvolvimento econômico dos anos 60 e hoje estamos no século 21. Temos condições de nos utilizar de outros modais. É necessário o governo ter a iniciativa de buscar parcerias com a iniciativa privada para corrigirmos esses gargalos. Precisamos mais tempo no planejamento e mais precisão na execução”, observou.

O presidente do Sindicato Nacional da Indústria do Carvão, César Faria, também fez uma apresentação sobre a situação do setor e das usinas no Brasil e no Rio Grande do Sul. Faria observou que 66% da energia utilizada no Rio Grande do Sul é importada de outras regiões. Faria observou que as existe perspectiva de se elevar a geração de energia no Estado com termelétricas a carvão, especialmente com dois projetos em Candiota e um em Cachoeira do Sul.

fonte: FIERGS

Anúncios

RS e SC querem CPI da Telefonia em suas casas Legislativas #CPIdasTelesJá

cpi-telefonia_carazinhoNa Assembléia Legislativa Gaúcha, iniciaram as coletas de assinaturas para protocolar o pedido de instalação da CPI que pretende investigar e punir as operadoras por danos causados ao consumidor pela má qualidade de sinal. Esta ação vem sendo liderada pelo Deputado Ernani Polo, no primeiro dia já foram coletadas 25 assinaturas.

Em Santa Catarina o novo presidente da Assembléia Legislativa, Joares Ponticelli, quer instalar uma CPI da Telefonia no estado. A finalidade é debater o péssimo serviço prestado pelas operadoras de telefonia celular no Brasil. Para o presidente da Assembleia e seus colegas dos maiores estados brasileiros, a Anatel não cumpre seu papel de fiscalização como agência reguladora e o usuário é penalizado.

Com a mudança da presidência do Congresso Nacional, o trabalho pela instalação da CPI da Telefonia recomeça. 2013 está nos trazendo muitas expectativas positivas partindo das casas Legislativas dos Estados.

No Congresso Nacional, com 188 assinaturas de deputados, protocolei o pedido de instalação da CPI da Telefonia em agosto do ano passado, em novembro entreguei representação contra as operadoras ao Ministério Público Federal.

Com o apoio dos Deputados Estaduais e da maioria dos Deputado Federais no Congresso, somados ao grande apoio popular que estamos recebendo a cada dia, esperamos que o resultado desta batalha seja positivo.

Programa de Recuperação de Solo beneficiará 20 mil produtores

Hoje (29) subi à tribuna do Plenário Ulysses Guimarães para chamar a atenção sobre o programa de recuperação de solos e correção da acidez do solo com calcário do Governo Tarso Genro no Rio Grande do Sul.

Esta ação beneficiará 20 mil pequenos e médios produtores de 100 municípios das regiões Centro Serra, Alto Butucaraí e Metade Sul . Com a participação dos governos Federal, Estadual e Municipal e o apoio da iniciativa privada o programa vai distribuir até 5 toneladas de calcário por propriedade, serão investidos 30 milhões, sendo R$ 15 milhões do governo Federal , R$ 10 milhões do governo Estadual e R$ 5 milhões dos governos municipais.

Destinei  diversos recursos através de emendas individuais para potencializar esta ação e alcançar pequenos agricultores estabelecidos nos municípios das regiões norte e noroeste do Rio Grande do Sul.

Em nosso Estado, cerca de 100 mil propriedades rurais têm sofrido nos últimos anos com estiagens e temporais que estão gerando impactos negativos ao potencial econômico reduzindo as condições de subsistência e manutenção operacional desses pequenos agricultores.

Se a plantação for feita em uma terra desgastada por uso impróprio do solo a produção será menor.  Com a utilização do calcário para a correção da acidez do solo, combinada com uma adubação adequada, pode proporcionar ganhos de até 5 vezes mais na produtividade das pastagens e dobrar a produtividade das lavouras de grãos.

O programa do governo do RGS prevê a correção de até 100 mil hectares de terras com utilização de 500 mil toneladas de calcário. Conforme o secretário de agricultura do RS Luis Fernando Mainardi o programa será desenvolvido em parceria com os municípios, deverá ser monitorado pela  Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária – FEPAGRO com o objetivo de apurar os reflexos que serão sentidos a partir de sua implantação e também para monitorar sua correta aplicação.

A minha emenda possibilita ampliação no numero de toneladas de calcário disponibilizadas para este fim e dessa forma um maior numero de propriedades beneficiadas. No final desta etapa ,a partir do acompanhamento técnico, o programa vai mensurar os efeitos da prática do aumento da produtividade e confirmar a validade da correção de solos para o aumento da produção.

Cumprimento o Governador Tarso Genro pela visão e pela iniciativa e aproveito a oportunidade para me disponibilizar para auxiliar no que for necessário no sentido que este extraordinário programa seja ampliado. Se o pequeno agricultor for amparado pelo governo ele vai continuar na sua propriedade produzindo alimento e cooperando para o desenvolvimento do Rio Grande do Sul.

Ministra dará apoio na liberação de recursos aos municípios gaúchos

Ministra Ideli, deputado goiano Jovair Arantes – lider da bancada do PTB (Partido Trabalhista brasileiro) na Câmara e Deputado Sabino Castelo Branco do PTB Amazonas.

Solicitei à Ministra Ideli Salvatti apoio para agilizar a liberação de recursos aos municípios gaúchos 

Na ultima quarta feira (07/11) estive reunido com a Ministra de Relações Institucionais Ideli Salvatti para solicitar urgência na liberação de recursos aos municípios gaúchos, principalmente à aqueles atingidos pelos fortes temporais ocorridos no estado nos últimos meses.

Solicitei ainda, agilidade na liberação dos recursos do programa Pró Transporte que estão represados no Ministério. Estes recursos são referentes a investimentos em infra estrutura de transporte e mobilidade urbana. Acredito que a atuação parlamentar consiste não somente em defender e elaborar projetos, mas também em defender os interesses dos municípios do seu estado, fiscalizar e cobrar da administração deste país os recursos dos municípios que são de fundamental importância para o efetivo desenvolvimento.

 

O 20 de Setembro é a Marca do Povo Gaúcho

Parabéns Povo Guerreiro, 

Parabéns Povo de Coragem,

Parabéns Gaúcho!!!

Em 20 de setembro de 1835, os farroupilhas, liderados por Bento Gonçalves, venciam o confronto da Ponte da Azenha e entravam na província de Porto Alegre. Iniciou-se a Guerra dos Farrapos, o mais duradouro conflito armado da história do Brasil, que resultou na declaração de independência do Estado do Rio Grande do Sul, dando origem à República do Piratini, que durou cerca de sete anos.
A Guerra dos Farrapos, também chamada de Revolução Farroupilha, é o mais longo conflito armado ocorrido em território brasileiro (teve início em 1835 e terminou em 1845). É considerada uma das mais importantes passagens da história do Rio Grande do Sul, um marco da formação social e política do Estado. A importância do dia 20 de setembro é tão grande que em 1978 foi decretado feriado em todo o Estado pela lei estadual 4.453/78. Sirvam nossas façanhas de modelo a toda terra!

#Balela: Empresas devem voltar a vender linhas sob a promessa de que irão melhorar

Passados alguns dias desde a proibição das vendas de novas linhas de celulares e já foi dado início a operação “enrolar o povo”.
Existe é a promessa de melhorias ao mesmo tempo em que os trabalhadores continuam com os mesmos problemas para usar seus telefones e pagando as mesmas tarifas abusivas.
Enquanto isso a Anatel se defende: “quando tivermos uma decisão vamos anunciar!”. Os planos estão “caminhando bem” “as empresas sabem quais são as necessidades”.
Na minha opinião isso não é resposta que se apresente a 200 milhões de brasileiros! Os cidadãos querem mais. Querem saber quais são estes planos, quando e como serão executados, e quanto isso vai custar?
Foram 15 anos de lucratividade, desde a privatização, e a base desse assunto no momento são venda de linhas de telefones, nada se houve falar sobre as tarifas. Obviamente as empresas de telefonia querem continuar lucrando com as tarifas mais altas do mundo. Em outros países onde estas mesmas empresas atuam as custos não são tão altos na utilização do celular, por que no Brasil têm que ser? Afinal, qual é a relação destas multinacionais com a Anatel?

Bernardo acena com fim de suspensão às operadoras, mas Anatel ‘desconversa’
Presidente da agência reguladora disse que, quando houver uma decisão, a Anatel vai comunicar

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse que “nos próximos dias” poderá ocorrer a revogação da suspensão das vendas de novas linhas para operadoras de telefonia punidas desde o dia 23 de julho. Já o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), João Rezende, evitou dar prazos para a liberação das vendas de novas linhas pelas operadoras. Segundo Rezende, a agência está analisando os planos apresentados pelas companhias para melhorar as condições de tráfego e as medidas emergenciais. “Quando a Anatel tiver a decisão, vamos comunicar”, afirmou, após participar de evento organizado pela organizado pela Associação Brasileira de Televisão por Assinatura (ABTA). Segundo ele, os planos apresentados pelas empresas estão “caminhando bem”. “As empresa sabem quais são as necessidades. Todas estão apresentando e reapresentando (os planos), é um processo dinâmico”, afirmou. “Algumas estão anunciado novos investimentos; outras, realocação”, completou, acrescentando que o objetivo é a melhora da qualidade dos serviços, como forma de atender ao crescimento da demanda do setor de telecomunicações. Bernardo: planos estão satisfatórios Bernardo avaliou que os planos divulgados pelas empresas estão “satisfatórios” e deverão melhorar o serviço das operadoras daqui para frente. O ministro destacou, porém, que não tem os detalhes dos planos enviados pelas companhias, por ser uma tarefa técnica da Anatel. “A cada fim de dia eu pergunto para o presidente da Anatel como é que está (a situação). Se está evoluindo, se está boa. Isso é uma questão para o técnicos resolverem”, afirmou.Fonte: Estadão

No Rio Grande do Sul as operadoras solicitaram um adiamento do prazo para assinatura do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) e amanhã, quarta feira 1º de agosto, haverá uma reunião a portas fechadas entre operadoras e Procon/RS para finalização do texto. Há expectativas que o TAC seja assinado na próxima segunda feira, mas não há garantias. Fonte Jornal do Comércio – Imagem: revista Meu Bairro