BR 386: a estrada da produção é também a estrada da morte no RS @zerohora

ALERTA NA BR-386

estradaA incidência de acidentes nas estradas gaúchas é tão grande que todas as pessoas que conheço tem alguma relação com vítimas.
Muitos desses acidentes poderiam ter sido evitados se houvesse maior manutenção, sinalização e engenharia adequada para estas estradas.
A negligência com a conservação dessas estradas roubam vidas dentro das famílias gaúchas. Os impostos são pagos, muitas dessas estradas têm inclusive pedágios, os produtos transportados nestas estradas também pagam impostos, o governo não pode alegar falta de recursos.
Se não faltam recursos, o que falta então?

 

Estrada da morte mais mortal

Fundamental para o escoamento da produção gaúcha, a rodovia já registra número de óbitos em acidentes 15% superior a 2011

Antes simples, o ato de fechar os olhos e esperar pelo sono se transformou em um martírio para Amauri José Pereira da Silva, 58 anos. Sobrevivente da violenta colisão que matou sete pessoas na BR-386, em 19 de novembro, o aposentado é assombrado pelas lembranças do acidente.

Após a tragédia que dilacerou três famílias, Pereira passou por cirurgias e teve alta ontem, depois de ficar internado em estado grave no Hospital São Vicente de Paulo, em Passo Fundo. Ele enfrenta a dor da perda da mulher e de um casal de amigos na estrada da morte. O acidente vitimou também um casal e dois filhos pequenos que estavam em um Civic.

– Lembro de tudo. Um carro veio como um avião na nossa direção – relata o aposentado, sem conseguir conter o choro.

Assim como Pereira, outras famílias choram as 79 vidas perdidas este ano na BR-386, conhecida como estrada da produção, responsável pelo escoamento de boa parte da safra gaúcha. A 18 dias do encerramento de 2012, o trágico saldo já é superior aos dois últimos anos. Na comparação com 2011, são 10 mortes (cerca de 15%) a mais na rodovia. O número é alarmante, conforme a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Com 448 quilômetros de extensão, a estrada apresenta diferentes realidades e oferece, a cada trecho, perigos distintos aos motoristas. Para o engenheiro mecânico especializado em trânsito e assistente técnico da ONG Alerta, Walter Kauffmann Neto, a rodovia não está adequada ao fluxo de veículos que recebe diariamente:

– A BR-386 é a estrada da morte porque peca na segurança. É preciso investir pesado em engenharia de trânsito. O usuário merece uma estrada segura e de trânsito rápido.

Dirigente do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística do Estado (Setcergs), Frank Woodhead afirma que o investimento em melhorias na segurança da rodovia é uma demanda urgentíssima:

– É lastimável o número de mortes. Temos carros e caminhões demais em uma via simples, de mão dupla.

O sindicato apoia o movimento pela duplicação de toda a rodovia.

– A duplicação praticamente zeraria colisões do tipo frontal, provocadas principalmente por ultrapassagens irregulares – afirma o especialista em transportes João Fortini Albano.

Contraponto
O que diz o Dnit, por meio da assessoria:
“O Dnit tem conhecimento dos problemas da BR-386 e está projetando melhorias. Uma das providências é licitar estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental para o trecho Iraí-Estrela, para indicar soluções de engenharia, incluindo duplicações e construção de viadutos e passarelas.”

ESTRADAS

fonte: ZERO HORA

Anúncios

Detetive particular agora têm profissão regulamentada

APROVADO o PL 1211/2011 de MINHA AUTORIA que regulamenta a profissão de Detetive Profissional do  Brasil.

 

O Projeto de Lei dispõe sobre a profissão de detetive particular, cria o Conselho Federal de Detetives do Brasil e os Conselhos Regionais de Detetives e dá providências correlatas.

Além de receber o devido reconhecimento, estes profissionais terão agora a oportunidade de ampliar seu conhecimento de profissional de investigação e ser mais um recurso da polícia para revelar crimes.

Na foto: Entrega de cópia da lei aprovada, com Itacir Flores- Presidente Nacional Pró Regulamentação da Profissão de Detetive do Brasil, Deputado Ronaldo Nogueira e Vinicius Di Cresci – advogado e professor.

 

ACOMPANHE O ANDAMENTO DESTA EMENDA NA CÂMARA DOS DEPUTADOS:

http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=500182

 

Clique neste link e veja uma matéria super criativa sobre a profissão de detetive. A matéria é antiga, a diferença é que agora a profissão de detetive é regulamentada.

Prêmio João de Barro agracia empreendedores de Carazinho

Nesta sexta feira dia 09, recebi do município de Carazinho uma linda homenagem. Fui agraciado com o TROFÉU JOÃO DE BARRO na 13ª edição do evento.

Só tenho agradecimentos à Carazinho, minha cidade natal que sempre me acolheu e me respeitou, o lugar onde constituí minha família e me sinto feliz!

Hoje, sou deputado federal e tenho a oportunidade de fazer muito mais por esta cidade, e não irei medir esforços para que Carazinho continue crescendo e progredindo sempre.

 

Uma grande noite para o empreendedorismo
Os empresários Leandro Alberto Rheinheimer e Luiz Alberto Xavier da Costa e o Deputado Federal Ronaldo Nogueira receberam o trofeu João de Barro, em Carazinho, na sexta-feira (9), durante cerimônia na Bier Site

FOTO DM_MAYARA DALLA LIBERA

A noite de sexta-feira (9), foi marcada pela solenidade de entrega da 13ª edição do Trofeu João de Barro, que homenageia empreendedores de sucesso no município de Carazinho. O cerimonial aconteceu no Rancho Bier, quando foram agraciados os empresários Leandro Alberto Rheinheimer – sócio proprietário do Coqueiros Supermercados – e Luiz Alberto Xavier da Costa – sócio proprietário do Grupo Mekal –, além do deputado Federal Ronaldo Nogueira.

A premiação é uma iniciativa das entidades de classe, Associação Comercial e Industrial (ACIC), Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Sindicato do Comércio Varejista, Sindicato Rural, Sindicato das Empresas de Transporte de Carga de Carazinho e Região (SINDICAR) e OAB/RS Subseção de Carazinho.

A proposta da premiação é reconhecer o espírito empreendedor de empresários e profissionais liberais que trabalham pelo desenvolvimento de Carazinho e que sabem fazer do sucesso profissional, mais do que uma meta individual, um estímulo coletivo transformando-se em referência de determinação, dinamismo e espírito comunitário.

fonte: DIÁRIO DA MANHÃ