Deputados pedem aumento de 100% para os 100 procedimentos de média complexidade mais executados em hospitais Filantrópicos e Santas Casas

ronaldo_casas de misericórdiaNo RS As Santas Casas e entidades sem fins lucrativos estão presentes em 245 unidades hospitalares, elas representam mais de 15,5 mil leitos do Sistema ùnico de Saúde (SUS) e empregam mais de 58 mil profissionais.

Na terça feira 26, foi entregue documento  ao Ministro da Saúde Alexandre Padilha, ao presidente do Senado Renan Calheiros e ao presidente da Câmara dos Deputados Luis Eduardo Alves, solicitando que sejam aumentados em 100% os 100 procedimentos de média complexidade mais executados em hospitais Filantrópicos e Santas Casas.

A Frente parlamentar de apoio às Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas na Area da Saúde quer garantir o funcionamento de entidades no RS e encontrar soluções para o endividamento adquirido por elas ao longo dos anos.

Na parte da tarde, participei de encontro das Frentes Parlamentares dos Estado e  das Federações das Santas Casas de Misericórdis de todo Brasil promovido pela Frente Parlamentar Federal de Apoio às Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas na área de saúde.

na foto: Com o deputado federal baiano Antônio Brito (PTB) que é presidente da Frente Parlamentar de Apoio às Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas na área de saúde e Deputado Estadual PTB/RS Jurandir Maciel

Jurandir e Ronaldo

Anúncios

Idéias criativas: Arremesso de celular é a melhor maneira de descartar o aparelho velho

Há muitos anos convivemos com o problema da pilhas e baterias que não sabemos como descartar. Esses materiais não podem ser jogados no lixo comum, pois possuem substâncias poluentes como mercúrio, chumbo e cádmio, que agridem o meio ambiente e são altamente prejudiciais à saúde.  A maioria dos usuários guardam em casa baterias velhas de celulares, carcaças, antenas e outros acessórios por não saberem como descartá-las de forma correta

As usinas de reciclagem também não têm destino correto a elas. Por que a política reversa não funciona no Brasil? Quem produz o lixo deveria ser responsável por ele. O mais indicado é devolvê-las para a indústria por meio de postos de coletas, instalados nas cidades pelas fabricantes e pelas operadoras de telefonia para reciclagem.

Fabricantes de aparelhos, que juntamente com as operadoras lucram milhões com vendas de celular, deveriam ter a responsabilidade de recolher o material produzido e reciclar.

Então, arremesse seu celular!

Quem realmente está preocupado com o meio ambiente é a própria população, são os consumidores. Enquanto as fábricas só pensam em produzir e lucrar, os brasileiros criam formas e campanhas de conscientização e destino correto destes materiais.

As idéias são as mais criativas, um grupo criou o Torneio Sul-Americano de Arremesso de Celular, um evento que une esporte, humor e conscientização ambiental. O primeiro campeonato brasileiro de arremesso de celular  aconteceu em São Paulo em 2008. A Idéia surgiu na Finlândia.

Em Fóz do Iguaçu, aconteceu no ultimo domingo, 16,  a 5ª edição do evento que une esporte, humor e conscientização ambiental.

A quinta edição do torneio de arremesso de celulares e notebooks reuniu 420 competidores neste domingo (16), em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. De acordo com o organizador Gabriel Antônio de Campos Neto, o objetivo do evento foi livrar o meio ambiente dos dois produtos e encaminhá-los para a reciclagem. Durante o torneio foram arrecadadas três toneladas de alimentos não perecíveis. A competição começou às 11h e encerrou às 17h.
O primeiro lugar na categoria notebooks foi para Calixto Avelino Júnior, que lançou o aparelho a 34 metros de distância. Já na categoria celulares, os campeões foram Ricardo Borges de Oliveira, que lançou o telefone a 99 metros de distância e Tatiane D’ávila Cardoso, que jogou o aparelho há 46 metros.

Os objetos coletados serão enviados para uma empresa especializada na reciclagem de eletrônicos. Lá, cada aparelho será desmontado e irá passar por uma triagem para depois seguir à destinação correta, sendo que o que não for aproveitado é encaminhado para um aterro controlado. Em 2011 foram coletadas quase dez toneladas de equipamentos, segundo Gabriel.

O evento é uma campanha que utiliza a promoção deste novo “esporte” (arremesso de celular) para chamar a atenção da sociedade e divulgar a conscientizar a população sobre a importância da reciclagem do lixo eletrônico.

Os celulares são arrecadados e as baterias, separadas.

Esta é uma preocupação recente, mas que merece atenção, pois o lixo que formado por eletrônicos velhos, sejam aqueles substituídos ou aqueles que não funcionam, devem ter um destino diferente do lixo comum. Quanto à celulares, a preocupação é ainda maior, visto que as baterias causam um enorme estrago ao meio ambiente.

Segundo este site, o evento começou sem grandes pretensões, inspirado em eventos do gênero realizados na Finlândia e em São Paulo, e cresceu rapidamente. Parece-me uma excelente ferramenta de divulgação e conscientização para reciclagem, obsolescência da tecnologia e sustentabilidade.

RECORDES DE ARREMESSO

Até agora, o recorde do evento Sul-Americano é de 87,23 metros. Já o recorde mundial masculino é de 94,97 metros, e o recorde mundial feminino, de 41 metros. O evento mundial acontece na Finlândia.

Na Finlândia, já existem categorias e modalidades de arremesso de celular. Se a ideia expandir, logo teremos as “olimpíadas” do Celular: celular-ao-alvo; corrida com barreiras falando no celular, boliche de celulares, badminton com celular no lugar da peteca, Fut-phone, etc. Particularmente, acho que jogar baseball com um celular no lugar da bola seria divertidíssimo.

Fonte: http://www.faberludens.com.br/pt-br/node/2544

Reforma do Código Penal – polêmica em torno da despenalização

Reforma do Código Penal

Nos últimos 10 meses uma comissão de juristas, nomeada pelo Senado Federal, vêm gerando polêmicas em torno das novas propostas para reforma do código penal brasileiro que está vigente desde 1940.  O texto final foi entregue em 27 de junho, ao presidente do Senado José Sarney. O projeto de reforma do Código já está em tramitação no Congresso Nacional. Agora sob a rubrica do Projeto de Lei do Senado 236/2012, está sendo analisado por uma comissão especial de senadores, que, a pedido do presidente da Casa, José Sarney, terá de correr, o parecer final precisa estar pronto entre 28 de setembro e 4 de outubro. Gostaria de saber a quem interessa esta velocidade recorde na tramitação desta reforma.

Os temas mais polêmicos em debate são: aborto, eutanásia, prostituição, drogas e enriquecimento ilícito de servidores públicos.

Absurdamente dentre as principais recomendações deste novo código penal consta autorização do aborto até a 12ª semana de gestação, prevê anistia de pena para a eutanásia, prática hoje punida como homicídio comum com pena de até 20 anos. O texto legaliza o funcionamento de casas de prostituição, descriminaliza o porte de drogas para consumo e, servidores públicos, inclusive juízes e membros do Ministério Público, que ampliarem seu patrimônio de forma injustificável “poderão” pegar até 5 anos de prisão.

Para enfrentar a escalada da violência é necessário o endurecimento de penas e não o abrandamento delas. É fácil resolver o problema de super lotação de presídios atenuando infortúnios.

Não podemos aceitar que atrocidades sejam cometidas em nosso código penal brasileiro que certamente teremos retornos desagradáveis. Não tenho interesse em me aliar a resoluções de governo que não condizem com a minha ideologia, acredito que o caminho correto para resolver problemas nem sempre é o mais fácil como o que está sendo proposto. Abrandar penas certamente diminuirá as super lotações de presídios mas irá criar uma série de outros problemas para a sociedade.

A despenalização do aborto, por exemplo, pode deixar marcas profundas, a vida humana começa na concepção e interromper uma gestação é homicídio. Decidir pela vida de um inocente que não tem a chance de escolher e optar pela vida. O aborto ainda pode causar  seqüelas à saúde física e mental da mãe, e ainda assim a legislação brasileira que permitir o aborto como se fosse uma prática legal?

 

Fonte: Estadão

No país do #futebol a #educação fica em 88º lugar

Para reflexão!
O Brasil foi a segunda melhor seleção de futebol nas olimpíadas de Londres e todo mundo achou ruim e botaram a “boca no trombone” criticando o treinador e jogadores. Agora! O Brasil possui a 6ª economia do mundo, fica em 88º lugar na educação, ocupa o 72º lugar do ranking da OMS em gasto per capita em saúde, é o 84º no IDH E O 3º pior índice de desigualdade do mundo e as pessoas permanecem preocupadas com o resultado da seleção da brasileira ou desfecho da novela das oito! Em outubro teremos eleição. Avalie se o diretor da novela da vida que escolheste ou o treinador de seu time está fazendo alguma coisa para mudar esse estado de coisas!

A grande maioria dos atletas brasileiros possuem apenas o ensino fundamental. O resultado das Olimpíadas de Londres mostra o pequeno incentivo, que um país com a economia do tamanho da do Brasil, dá a seus atletas, e também deixa bem claro que e desafio dos esportes é o desafio educacional e da qualidade de educação.

Seleção masculina tropeça de novo e é prata

Quando chegou à Grã-Bretanha, a Seleção Brasileira masculina de futebol era apontada como favorita absoluta ao ouro nos Jogos Olímpicos de Londres. No entanto, deu “zebra” na final, com a vitória do México por 2 a 1, e a equipe do técnico Mano Menezes acabou com a terceira medalha de prata para o País na história.

O favoritismo do Brasil nos Jogos Olímpicos era latente não apenas pelo poderio da Seleção, que contava com craques como Neymar, Oscar e Leandro Damião no ataque e Marcelo e Thiago Silva na defesa, mas também pela dada fragilidade dos adversários.Rival histórica do Brasil, país do melhor jogador do mundo atualmente e campeã olímpica em Pequim 2008, a Argentina não conseguiu classificar-se para Londres. Times europeus como a Grã-Bretanha ou Espanha se viram desfalcados por conta da disputa da Eurocopa semanas antes da Olimpíada. Um cenário bastante favorável para o futebol pentacampeão do mundo.

Conforme a competição foi se desenrolando, o status de provável campeão se consolidava na mente dos brasileiros. Antes da final, o time fez três gols em todas as partidas e passou por Egito, Bielorrússia e Nova Zelândia na primeira fase, além de Honduras e Coreia do Sul no mata-mata.

No entanto, um gol logo aos 28s de jogo na final reacendeu toda a desconfiança ao redor de uma Seleção que nunca conquistou a medalha de ouro olímpica. Abalada, a equipe não conseguiu levar perigo ao México, que ainda ampliou o marcador na segunda etapa. O jogo acabou 2 a 1, e o Brasil ficou com a prata, um verdadeiro vexame, dada a esperança e confiança depositadas no time verde-amarelo para a conquista do ouro.

fonte: Terra